Conheça o perfil dos convidados do DVD da Sandy


Depois de um ano e meio sem pisar nos palcos, Sandy está de volta. "Cancelei o projeto do meu terceiro álbum de estúdio, porque teria que pensar num repertório inédito e levaria muito tempo. Estou num ritmo diferente e, no meio do processo, fiquei com muita vontade de voltar aos palcos e não podia esperar um CD novo". O DVD só ficará pronto no próximo ano e o show seguirá o perfil intimista e minimalista já característicos da cantora. No repertório, canções dos álbuns solo 'Manuscrito' (Pés Cansados, Ela/ Ele, Perdida e Salva) e Sim (Aquela dos 30, Escolho Você, Ponto Final, Morada), incluindo músicas do seu repertório que nunca sairam do estúdio como ''Mais um Rosto'' e ''Refúgio'', além de releituras de sucessos de artistas consagrados e alguns clássicos de Sandy e Junior e, é claro, algumas inéditas.

A cantora estreou em São Paulo, com direito a data extra, e agora segue para o Rio de Janeiro (dia 17), Belo Horizonte (23) e Paulínia (30). Intitulada por ela carinhosamente de 'turnê-teaser', os shows são um aquecimento para a gravação do CD e DVD nos dias 14 e 15 de novembro, no Teatro Municipal de Niterói, com participação de Gilberto Gil e Tiago Iorc. Que tal conhecer um pouco mais os convidados?



TIAGO IORC


Tiago Iorc só canta músicas em inglês e até pode ter jeito de gringo, mas a verdade é que o cantor de 22 anos é brasileiríssimo. Nascido em Brasília, Tiago foi morar na Inglaterra com apenas 10 meses de idade - isso explica a predileção do cantor pela língua inglesa. Quando voltou para o Brasil, Tiago estudou guitarra, piano e violão e se tornou um verdadeiro músico.

Depois que o cantor lançou seu primeiro álbum, intitulado Let Yourself In, o sucesso não demorou a chegar. O primeiro single, Nothing But a Song, entrou para a trilha sonora de Malhação e estourou nas paradas. A segunda música de trabalho seguiu os mesmos passos da de estréia: selecionada para a trilha de Duas Caras, Scared deu a Tiago um destaque ainda maior, e, ao que tudo indica, trilhas sonoras de novelas dão muito sorte para o cantor. O terceiro single, Blame, tocou em A Favorita e foi é sucesso. No início de 2009, 'Nothing But A Song' se tornou o tema de abertura do filme 'Se eu Fosse Você 2', já assistido por mais de 4 milhões de telespectadores.

A 'voz impressionante' como citou em seu blog o cantor e compositor Leoni, somada aos 23 anos divididos entre Brasil, Inglaterra e Estados Unidos deram, além da facilidade para se expressar musicalmente em inglês, a segurança para compor em outro idioma. 'Minha música é reflexo da minha vida. Gosto de compôr em inglês e não vejo problemas nisso. Na verdade, para mim soa mais natural, mais sincero'. Compositor de 8 das 10 faixas do seu álbum de estréia Let Yourself In, Tiago convida a todos para experimentar o delicioso encontro de soul, jazz, rock e pop.

A releitura de dois clássicos da música internacional, 'Ticket To Ride' (Beatles) e 'My Girl' (The Temptations), dá a dimensão exata da sua maturidade artística. 


Com músicas que refletem a sua personalidade e experiência pessoal, Tiago vai além ao abrir espaço para a interpretação. 'Nas minhas letras gosto de ser subjetivo e dar margem para interpretações pessoais. O sentimento que a música desperta em cada um é pessoal, é único, e por isso é tão especial'.

Depois de convidado para gravar o disco, Tiago precisou despertar em si o ato de compor. 'Eu tinha idéias, melodias, letras na cabeça, mas tudo muito disperso. Quando surgiu a oportunidade de gravar o CD eu me concentrei na composição. Foi uma experiência nova, mas extremamente prazerosa'. Tiago entrou no estúdio e gravou todas as vozes e violões para o disco. Segundo ele, um período extremamente 'enriquecedor'. Já para Alexandre Castilho, um período que deu a ele a certeza de que 'Tiago não deve nada a qualquer artista do main stream internacional'.

Confira
'Coisa Linda', single do disco 'Troco Likes' ©2015 Som Livre:






GILBERTO GIL


Sua carreira começou no acordeon, ainda nos anos 50. Inspirado por Luiz Gonzaga, pelo som do rádio, pelas procissões na porta de casa. No interior do Nordeste a sonoridade que explorava era a do sertão, até que surge João Gilberto, a bossa nova, e também Dorival Caymmi, com suas canções praieiras e o mundo litorâneo, tão diferente do mundo do sertão. Influenciado, Gil deixa de lado o acordeom e empunha o violão, e em seguida a guitarra elétrica, que abrigam as harmonias particulares da sua obra até hoje. Suas canções desde cedo retratavam seu país, e sua musicalidade tomou formas rítmicas e melódicas muito pessoais. Seu primeiro LP, Louvação, lançado em 1967, concentrava sua forma particular de musicar elementos regionais, como nas conhecidas cançõesLouvação, Procissão, Roda e Viramundo.

Em 1963 ao conhecer o amigo Caetano Veloso, na Universidade da Bahia, Gil inicia com Caetano uma parceria e um movimento que contempla e internacionaliza a música, o cinema, as artes plásticas, o teatro e toda a arte brasileira. A chamada tropicália, ou movimento tropicalista, envolve artistas talentosos e plurais como Gal Costa, Tom Zé, Rogério Duprat, José Capinam, Torquato Neto, Rogério Duarte, Nara Leão entre outros. Este movimento gera descontentamento da ditadura vigente, que o considera nocivo à sociedade com seus gestos e criações libertárias, e acaba por exilar os parceiros.

O exílio em Londres contribui para a influência ainda maior dos Beatles, Jimmi Hendrix e todo o mundo pop que despontava na época, na obra de Gil, que grava inclusive um disco em Londres, com canções em português e inglês.


Ao retornar ao Brasil, Gil dá continuidade a uma rica produção fonográfica, que dura até os dias de hoje. São ao todo quase 60 discos e em torno de 4 milhões de cópias vendidas, tendo sido premiado com 9 Grammys. Entre LPs, Cds e DVDs, como Expresso 2222, Refazenda, Viramundo, Refavela, Realce, UmBandaUm, Dia Dorim, Raça Humana, Unplugged MTV, Quanta, Eu Tu Eles, Kaya N`Gandaya, Banda Dois, Fé na Festa, Concerto de Cordas e Máquinas de Ritmo com Orquestra, entre tantos outros, Gil criou uma vasta e abrangente obra musical e áudio visual. Seu último trabalho,Gilbertos Samba, é uma reinterpretação de canções gravadas por João Gilberto e uma homenagem do “discípulo para o mestre”.

Cada novo projeto de Gil tem suas formas consolidadas em suas diversas tournées pelo mundo. Todo disco vira show e muito show vira disco. Sempre disposto a realizar turnês nacionais e internacionais para cada novo projeto, Gil é presença confirmada anualmente nos maiores festivais e teatros da Europa. Realizou diversas turnês pelas Américas, Ásia, África, e Oceania. Gil tem um público cativo em seus shows no exterior, desde suas primeiras apresentações internacionais em 1971, a partir da sua marcante participação no festival de Montreux, em 1978. 

Confira "Meio de Campo'':





E aí? Conseguem imaginar o que vem por aí? 


Nenhum comentário:

Related Posts with Thumbnails